Vampiro Requiem

Publicado em 6 de maio de 2011 | por Trevor

O Réquiem

Depois de dar uma pincelada sobre o RPG  Vampiro (A Máscara / O Réquiem) no último post sobre o assunto, vamos dessa vez mergulhar um pouco mais no Réquiem!

Preparado para se juntar à essa família ?

A chamada Dança Macabra (ou Danse Macabre) é o que movimenta a sociedade dos amaldiçoados. Em poucas palavras, são as intrigas regidas pela ambição inerente aos vampiros. Esqueça em ser uma pessoa de boa índole, isso só traz boas coisas na vida real! Os vampiros precisam lidar com uma fera interna todas as noites que os instigam a passar por cima de tudo e de todos para satisfazerem seus caprichos. Para isso eles  podem contar com poderes sobrenaturais,  as chamadas Disciplinas, que em sua maior parte são herdadas do clã ao qual o vampiro pertence.

O clã funciona como uma família. Ao ser abraçado, o mortal se torna um vampiro do mesmo clã de seu genitor,  que por  sua vez tem o dever de instruir o neófito até que ele possa se virar sozinho na Dança Macabra. Enquanto isso não acontece, o genitor é responsável pelos atos de sua cria. Outra singularidade dos clãs são suas Disciplinas,  pois cada um possui as que são de maior acordo com sua natureza. Por exemplo, o clã Mekhet em sua maioria são vampiros discretos, fazem o possível para não chamar atenção e estão sempre em busca de conhecimento. Seus poderes os ajudam a se  moverem rapidamente, ocultarem-se nas sombras (tornando-se invisíveis muitas das vezes), e com os sentidos potencializados muito acima do que um humano é capaz. Em outras palavras, o tipo de disciplina condiz com a natureza do clã. Para falar sobre os clãs e suas Disciplinas seria necessário um post dedicado à cada um (o que farei futuramente). Os clãs são:

  • Daevas – Criaturas voltadas aos prazeres da sensualidade e a luxúria;
  • Gangrel – Selvagens e animalescos. Possuem grande afinidade com a natureza;
  • Mekhet – Seres sombrios, ocultos e desbravadores de grandes segredos;
  • Nosferatu – Tenebrosos e normalmente de aparência e odores repugnantes;
  • Ventrue – Aristocráticos, sentem-se poderosos ao impor sua vontade sobre os outros.

A estrutura da sociedade vampírica, ou A Família como eles chamam, possuem também uma outra divisão. Esta depende menos da sorte a qual foi lançada para o vampiro, pois ele se associa por afinidade de idéias com os outros membros. São as Coalizões, que além de unir os amaldiçoados por seus ideais, também é uma fonte de poder da qual os vampiros podem adquirir através do conhecimento:

  • Ordo Dracul - Coalizão originada pelo próprio Vlad Tepes Dracula. Ensinam seus discípulos a transcender as maldições impostas pelo vampirismo;
  • A Lancea Sanctum – Fundada pelo centurião que espetou a lança em Cristo, ensinam a aceitar a natureza vampírica como forma de expiação aos homens;
  • O Invictus – Consideram-se a realeza da família e tem por objetivo comandar politicamente a sociedade vampírica;
  • Círculo da Anciã – Veneram a Anciã em cultos pagãos e rituais místicos. Sabem como lhe dar com a feitiçaria;
  • Movimento Carthiano – Composta em sua maior parte de vampiros jovens, visam reestruturar a política anacrônica da família.

Enquanto algumas coalizões como os Invictus e os Carthianos oferecem grandes vantagens sociais, as outras três coalizões oferecem poderes sobrenaturais . O Círculo da Anciã e a Lancea Sanctum, ensinam feitiçaria aos seus discípulos  de acordo com o status que alcançaram dentro da coalizão. A Ordo Dracul ensina meios de transcender a maldição controlando a fera. Podem ser capazes de resistir à impulsos frenéticos, controlar o medo do fogo e a sede de sangue. Nos níveis mais altos, podem até caminhar à luz de um dia nublado.

Maldição? Isso é para os fracos!

Os ensinamentos das Coalizões somado às Disciplinas concedem grandes poderes. Com a experiência acumulada e o sangue potêncializado ao decorrer de inúmeras noites na “vida” do vampiro, esses poderes podem chegar aos limites do impossível. Porém, um sangue tão potente trás uma terrível desvantagem: Nem mesmo o sangue dos humanos é capaz de sustentar sua sede maldita, levando o vampiro a ter que se alimentar de outros vampiros, o que seria um perigo à sociedade dos imortais. Nessa ocasião o que lhe resta a fazer normalmente é se render à um torpor, que pode durar mais ou menos tempo, dependendo da humanidade (moralidade) do vampiro. Quando ele finalmente acorda, esquece muito sobre sua existência e desacostuma com o poder anteriormente adquirido, tendo muitas vezes que recomeçar uma nova “vida”.

Pois bem, aqui fica a minha Cartilha das Trevas para os neófitos. Agora, aproveite a noite e aprecie seu Réquiem!


Sobre o Autor

Desenvolvedor de sistemas web, fascinado por estórias sobrenaturais e música obscura. Criou o Lua Sombria para divulgar informações sobre bandas, livros, jogos de RPG e trocar idéias com pessoas que compartilham esses mesmos vícios.



Comments are closed.

Voltar ao Topo ↑
  • † Siga-nos

    Facebooktwittergoogle_plusrssyoutube
  • † Facebook

  • † Twitter

  • † Parceiros

    Blutengel Brasil - Fã Blog

    Alternativo Alemão

    Insanity BH
  • † Pinterest


UA-20981104-1